Junte-se a 22.515 pessoas que
decidiram aprender tudo sobre Criação de Blogs Profissionais e Redes Sociais.

Guest Post Bruna Farias

Supply Chain: o que é e qual a importância

Toda empresa precisa de um bom setor logístico para que sua organização seja feita de maneira objetiva e ordenada. Processos inovadores como o Supply Chain vêm se aprimorando com o passar do tempo, e beneficiam tanto empresa como cliente. A competitividade de uma longa cadeia de suprimentos possibilita que o consumidor escolha o melhor produto, uma vez que muitas opções são oferecidas para ele. Os resultados dessas ações são incrivelmente positivos se bem aplicados. 

No artigo de hoje, falaremos sobre uma dessas estratégias, que é o Supply Chain, além de explicar qual a sua importância e as vantagens de sua aplicação em uma empresa. Pegue seu caderno de anotacoes personalizado e acompanhe a leitura até o final!

O que é Supply Chain?

O conceito de Supply Chain pode ser traduzido de forma literal como “cadeia de suprimentos”. Essa cadeira consiste em estabelecer uma relação entre diversas partes que negociam entre si. 

Uma venda pode ser realizada em uma loja, mas ela não se resume no cliente fazer uma solicitação e simplesmente adquirir os produtos após a compra. Outros diversos processos para que a compra seja efetivada precisaram ser realizados anteriormente.

É como se um impressora de banner industrial entrasse em uma sistema de cadeia com a sua fornecedora de tintas. O objetivo dessa parceria é melhorar a experiência que o cliente terá com todo o processo de compra e entrega do produto ou serviço.

A construção do produto final até a entrega para os clientes passa por diversas pessoas, como aqueles que recolhem a matéria-prima, transportam, estocam, montam o produto em suas fábricas e até redistribuem.

Quando todos esses processos são organizados em uma espécie de cadeia e um setor fica responsável por realizar o gerenciamento desses suprimentos, fluxos e de todos os processos, pode-se dizer que existe uma cadeia de suprimento ou uma Supply Chain

É comum com uma fábrica que produz uniforme empresa feminino, por exemplo, usar dos mesmos fornecedores para fazer outros tipos de roupas para todos os tipos de segmentos. São os mesmos parceiros, mas o produto final é diferente.

O Supply Chain sempre irá buscar tornar o mercado mais produtivo, levando a melhor experiência de compra possível para o cliente. O objetivo é fazer de seus produtos e de sua logística exemplos a serem batidos e até espelhados pelos concorrentes. 

Mas, isso já não é logística?

Muitos confundem o Supply Chain com os processos de logísticas já realizados em outros tipos de empresa. São setores próximos e podem ser realizados pelos mesmos profissionais com a mesma formação, mas existem claras distinções entre elas.

A logística está mais assemelhada com os chamados processos operacionais que garantem a entrega até o destinatário final. Então, o profissional que lida especificamente com a logística, irá trabalhar com a aplicação dos armazéns e níveis de estoque, por exemplo. 

Até uma creche escola parque imperial precisa de um desses profissionais para saber as entradas de alimentação e demais materiais para uso dos alunos e professores, por exemplo. Ou seja, a logística trata mais de processos de manutenção e averiguação. 

Já a cadeia de suprimentos lida com a comunicação entre as instituições que a compõem. Nesse caso, eles estarão se responsabilizando de forma direta com os clientes e a maneira como eles estão recebendo o produto final e tendo seus pedidos realizados.

Assim como estará se relacionando com os varejistas, fabricantes e transportadores que fazem todos os processos internos até a chegada dos produtos para o consumidor final. 

É justamente essa relação final entre clientes e consumidores que faz da Supply Chain uma estratégia tão bem sucedida na melhoria dos processos internos de um determinado negócio que deseja aumentar as vendas e os parceiros. 

Veja que, por consequência de tudo isso, a atividade logística ocorre dentro da gestão da cadeia de suprimentos. 

Aplicando o processo nas empresas

Diversas empresas que fazem a avaliacao patrimonial a valor de mercado notam que precisam investir em tecnologia para aprimorar seus processos e gerar lucro. Da mesma maneira ocorre com o Supply Chain.

É necessário o investimento em tecnologias de sistemas e programas capazes de garantir que o gerenciamento seja feito de maneira rápida e eficaz. Para isso, é preciso passar pelo estudo do cliente e entender em que momento os processos estão lentos.

Em seguida, passa pelo processo de transição e monitoramento de atividades internas para entender a causa dos erros e aplicar as soluções. O cliente sempre deve ser a prioridade, e uma dica é tentar se colocar no lugar dele para entender o que pode estar dando errado.

Por último, será necessário investir em uma central de atendimento de qualidade com um sistema integrado de checagem de estoque e mapeamento de produtos para dar segurança ao consumidor sobre os produtos que estão sendo vendidos e levados até ele. 

Tudo passa pela velocidade com que a comunicação será realizada, assim, as relações podem ser feitas e gerenciadas como em uma estacao de trabalho com divisoria, que é liderada pelo mesmo gerente, apesar de realizarem atividades diferentes. 

Benefícios do Supply Chain 

As ferramentas adotadas farão com que o negócio promova uma gestão integrada entre os envolvidos na cadeia de suprimentos, além da criação de um sistema completo de fornecimento de informações, que antes não existia. 

Como já vimos, os resultados satisfatórios provam que o Supply Chain não funciona apenas como uma espécie de controle de acesso biometrico, mas é a tecnologia por detrás desse controle. 

Para ficar mais fácil de compreender, alguns desses benefícios são:

  • Redução de estoques;
  • Diminuição de fornecedores;
  • Qualidade dos produtos e serviços aumentada;
  • Rápida resolução de problemas e urgências;
  • Redução nos gastos operacionais.

Note que quase todas as vantagens citadas são focadas em reduções de tempo e dinheiro. Isso ocorre pelas demandas que podem ter sido agregadas de maneira equivocada, e quando tudo é aplicado em um sistema em cadeia, os recursos são melhor aproveitados. 

Começando pela redução de estoques, quanto maior os níveis de estoque, maior o custo referente a mão de obra, aquisição e máquinas de manutenção de todos os produtos que ali existem. Somente a estrutura física e de segurança dos estoques geram custos altíssimos.

Seguindo para a redução dos fornecedores, é nítido que quanto mais participantes no envolvimento dos processos, maiores serão os recursos utilizados para que seja possível realizar um gerenciamento minimamente eficaz. Menos fornecedores, melhor controle.

Ao acompanhar o os processos de abastecimento e transporte, é possível realizar o acompanhamento do desempenho de cada parceiro e verificar se há a necessidade de manter aquela parceria. 

É muito comum utilizar uma empresa de entrega motoboy que realiza o trabalho de maneira eficiente e rápida e não se ater àquele fornecedor que tem menos demandas, mas pouco faz para cumprir com os horários estabelecidos.

Lembre-se de que  objetivo é tornar os processos mais dinâmicos e estabelecer uma melhor comunicação entre todos esses envolvidos. Se um fornecedor não falar a mesma língua da empresa, então é preciso encontrar alguém que fale. 

Em terceiro lugar está o aumento da qualidade dos produtos e serviços. Essa é uma consequência dos dois benefícios anteriores. Com estoques mais organizados e enxutos, aliados a bons fornecedores que auxiliam no processo.

Essa fusão de novas realidades possibilitam com que a empresa tenha tempo hábil para focar na qualidade dos produtos e serviços e dar ao cliente uma melhor experiência. 

Afinal, os consumidores contemporâneos estão cada vez mais exigentes, por isso, o foco deve ser totalmente neles.

Na sequência, a rápida resolução dos problemas gerados ao utilizar um Supply Chain é evidente, justamente pela fácil comunicação que foi integrada pelos diversos métodos possíveis. Além disso, é possível mapear os fornecedores e saber antes se haverá atrasos.

A tecnologia, nesses casos, ajuda e muito para que seja possível a criação de uma comunicação integrada, além de boa relação com os fornecedores. Tudo isso resulta em ações ágeis que impedem problemas maiores de crescerem.

Por último está a redução de custos operacionais. Da mesma forma como ocorre com os estoques, existe uma demanda excessiva em processos e correções que poderiam ser rapidamente solucionadas com boas práticas de otimização.

Considerações finais

Vimos ao longo de todo o artigo sobre a importância de realizar um Supply Chain de qualidade que possibilite a sua empresa de conseguir melhorar os processos internos. Basta aplicar todos os processos logísticos em uma cadeia de suprimentos.

Os investimentos pontuais que forem feitos gerarão lucros com o tempo e mostrarão que uma boa organização e bons parceiros capazes de entregar o que prometem, fazem da cadeia de suprimentos uma das fórmulas de sucesso mais utilizadas no mundo todo. 

Com essas dicas, seu negócio já pode montar uma cadeia de suprimentos, ou melhor, começar seu Supply Chain e passar a colher bons frutos. 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.