Junte-se a 22.515 pessoas que
decidiram aprender tudo sobre Criação de Blogs Profissionais e Redes Sociais.

Guest Post Monica Godinho

Marketing Digital: 4 dicas de engajamento

É muito comum ouvir falar em marketing digital nos dias atuais, e cada vez mais são encontrados artigos sobre isso na internet. Contudo, encontrar dicas de engajamento já não é tão fácil assim, especialmente algumas que de fato funcionem.

Para começar, o que exatamente seria um bom engajamento? Como esse termo é muito comum no universo das redes sociais, muita gente pensa que se trata apenas de conseguir mais curtidas, comentários positivos e compartilhamentos.

Mas certamente não se trata disso, pois muitas pessoas ou empresas são capazes de atingir isso de maneira relativamente simples, e nem por esse motivo seus resultados melhoram de verdade, sobretudo no sentido comercial e financeiro.

Desse modo, já percebemos que um bom engajamento precisa trazer, sem dúvida, um desejo de compra, uma vontade de consumir os produtos ou serviços da marca. Do contrário, o “crescimento” que o negócio está tendo é relativo e frágil.

Um exemplo são os canais ou perfis que fazem muitos sorteios, e vivem obtendo interação nos posts. Contudo, quando eles param de oferecer essas vantagens excepcionais, ninguém mais quer segui-los ou consumir seus conteúdos.

Neste sentido, também é importante definir o marketing digital. É muito comum ver algumas marcas se encantarem com as possibilidades que a internet traz, sobretudo pelo fato de ela ser extremamente democrática.

Mas é preciso que haja um planejamento e uma visão bastante crítica sobre essas oportunidades, ou o risco de simplesmente perder tempo e não conseguir os resultados desejados é bastante grande.

Como com o marketing de conteúdo, que pode trazer ótimos resultados, desde que a pessoa saiba conduzir boas ações e boas campanhas dentro desse formato. Um extremo é produzir conteúdos ruins ou desalinhados com o público, o que não traz resultado.

Outro extremo é o de produzir os melhores conteúdos, porém, não saber aproveitar o timing das vendas, da captação de leads e prospecção. Enfim, não saber como monetizar isso, e acabar se tornando um centro de informações e tirada de dúvidas.

O marketing digital nada mais é do que um conjunto de ações e de esforços que visa a promoção de uma marca na esfera digital.

Trazendo resultados que vão desde o fortalecimento de marca e de engajamento, até aumento das vendas, do faturamento e dos lucros.

Então, se você quer as melhores dicas sobre como o engajamento está ligado com tudo isso e como ele pode trazer resultados realmente sólidos e sustentáveis, basta seguir adiante na leitura.

1. Público-alvo e os perfis da persona

Hoje em dia, é muito comum ouvir dizer que o primeiro passo para produzir conteúdo relevante é, justamente, seguir as diretrizes do marketing de conteúdo. Contudo, se o público-alvo não for bem explorado, isso não vai funcionar.

Imagine um blog da área de empresas de instalação elétrica, como ele pode produzir e distribuir os melhores artigos e posts sobre sua solução? Não adianta seguir o “instinto” ou escrever de maneira genérica, certamente.

Pense em uma conversa: quanto melhor você conhecer a sua contraparte, melhor será. Com o engajamento é igual, você precisa primeiro identificar seu público-alvo, como no exemplo dado, que são os técnicos da área de instalação elétrica.

Ao considerar que pouquíssimas pessoas fazem isso sem ter formação na área, você fecha o escopo no técnico, com toda razão. Porém, isso já não basta, hoje é preciso falar na persona do público, que é composta de dois ou três perfis.

Assim, você vai muito além do básico, e consegue compreender como o seu futuro cliente pensa, gerando um engajamento de qualidade, por meio de perguntas como:

  • Afinal, quem é o meu cliente ideal?
  • De que tipo de vantagem ele mais gosta?
  • Quais redes sociais ele mais utiliza?
  • Quais conteúdos podem chamar sua atenção?
  • Como ele consome notícias e novidades?
  • O que ele adora que uma marca faça por ele?
  • O que ele odeia que aconteça na negociação?

O mesmo vale para qualquer segmento ou nicho de mercado. Se a marca vai gerar conteúdos ou fazer anúncios de espelho decorativo sala de jantar, cada ação precisa ser pensada, tendo em mente dois ou três perfis criados em cima dessas perguntas.

O ideal é não fazer mais do que três, pois seria algo dispersivo demais, e nem ficar em apenas um, o que limitaria seu alcance. Algumas marcas chegam ao ponto de dar nomes fictícios para os perfis, e utilizam até mesmo fotos de pessoas reais para ilustrar melhor.

2. Produção de conteúdo que engaja

Ao falar em conteúdo, tem gente que fica na dúvida sobre o que realmente se trata. É preciso compreender que esse tipo de estratégia, também chamada content marketing (termo do original, em inglês) vai ao encontro das tendências das novas gerações.

Hoje, que as pessoas têm acesso a microcomputadores, smartphones e internet, a informação corre muito mais rápido e elas são mais críticas do que antes. Para comprar um notebook novo, por exemplo, a pessoa vai ler muito antes de tomar a decisão.

Aí é que entra o marketing de conteúdo, pois quem tiver os melhores artigos e posts, certamente vai ser considerado como o que tem maior autoridade naquele segmento, concorda? Logo, é uma questão de autoridade e fortalecimento de marca.

Uma dica de ouro: para o conteúdo realmente engajar, ele precisa resolver uma dor específica, levando uma solução real aos leitores. Por isso, matérias do tipo “10 dicas sobre como escolher o notebook ideal para você” costumam ser um sucesso.

O modo mais tradicional de gerar conteúdo é por meio de artigos de blogs. Depois, quando se sentir mais preparado, você pode fazer materiais maiores, como um e-book (que pode ser a soma de vários artigos que deram certo), ou menores, como posts.

Outra dica bacana é não ficar limitado ao texto escrito. Assim, um post sobre quarto planejado que tenha ido bem, pode servir de base para script de um vídeo, ou de um podcast, que são formatos de multimídia que fazem muito sucesso atualmente.

Seguindo a mesma lógica das novas gerações, hoje as pessoas estão sempre apressadas, e vão se engajar muito mais se puderem consumir seu conteúdo enquanto fazem outra coisa, como limpar a casa ou se exercitar na academia.

3. Funil de vendas e landing pages

Gerar engajamento implica conhecer algumas estratégias de marketing digital que favorecem a distribuição do seu conteúdo e a interação que o público terá com ele. Você pode ter os maiores conhecimentos, mas também precisa de estratégias.

O maior exemplo é o do funil de vendas, que é composto de topo, meio e funil. Então, se você vai escrever sobre aula de inglês infantil, é preciso considerar se aquele material conversa com quem está no início ou no fim da jornada de compra.

Perder a mão sobre esses estágios é um dos grandes motivos para um conteúdo bom, que é perfeito em si mesmo, não engajar como deveria. Por isso, considere sempre que uma etapa é a da captação de leads, e outras são as da prospecção e do fechamento.

Um modo de acelerar esse processo são as landing pages, que são páginas de captura, totalmente voltadas para uma ação específica. Assim, você extrai banners, menus e tudo o que pudesse gerar dispersão, conseguindo uma atenção de qualidade.

Essas páginas engajam muito mais, pois vão direto ao ponto. Seja para preencher um formulário e receber novidades sobre sua loja de material de construção, seja para fazer uma compra e já passar o cartão de crédito ali mesmo.

Além de estar diretamente relacionada com o funil de vendas, a landing page foi feita justamente para canalizar a atenção do público e gerar essa atenção que, no fundo, nada mais é do que um engajamento.

4. Como aumentar o seu tráfego?

Não é possível falar sobre distribuição e interação sem falar em aumento no tráfego. Hoje, os principais pilares da internet são os motores de busca e as redes sociais.

Ao aparecer com destaque seus conteúdos atraem mais gente e podem gerar mais engajamento, como nos motores de busca, onde você pesquisa por algo como interruptor de luz e tende a clicar apenas nos resultados das primeiras páginas.

Um modo gratuito de se posicionar ali é por meio do famoso SEO (Search Engine Optimization), que é a otimização para motores de busca. Outra dica bacana é a dos Links Patrocinados, que posicionam suas palavras-chave no mesmo dia do anúncio.

Nas redes sociais vale a mesma regra, pois quase todas elas têm um crescimento orgânico, sem custos, além de uma plataforma Ads, de anúncios e divulgação patrocinada.

Como ali tudo é mais dinâmico, uma dica é manter a frequência das postagens. Assim, além de falar sobre convites personalizados, uma gráfica pode estabelecer um horário específico para as publicações de cada dia da semana.

Com isto, fica claro que o engajamento de qualquer marca pode crescer, desde que ela leve em conta dicas como as que demos acima, já no início das ações e campanhas.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.